Fernando Vilela

9 de abril de 2018

Com apenas 32 anos, o paulistano Fernando Vilela faz parte da nova geração de gravadores carimbados. O historiador e articulista do jornal Folha de S.Paulo Jorge Coli diz que há artistas que “impõem uma visão mental ao concreto com que fazem suas obras para anulá-lo. Fernando Vilela não. Seus procedimentos conduzem a um equilíbrio estrito entre cosa mentale e cosa manuale”. Suas obras Já foram apresentadas de Macapá, AP, a Porto Alegre, RS. No primeiro semestre de 2005, expôs na Galeria Virgílio, SP, e na 5ª Bienal Internacional de Gravura em Versailles, na França.